Contos & Fábulas

A Raposa e o Lenhador

Uma raposa, que fugia dos caçadores, vendo um lenhador, suplicou-lhe um esconderijo. Ele, então, convidou-a para entrar em sua casa para ali esconder-se. Logo depois, chegaram os caçadores que perguntaram ao lenhador se ele vira uma raposa passando por ali. O lenhador negou em voz alta tê-la visto, mas, com um gesto de mão, indicou-lhes o esconderijo.

Os caçadores, sem notarem o gesto, acreditaram em suas palavras. A raposa, vendo que iam embora, saiu do esconderijo e partiu sem dizer nada. Dias depois, tendo sido censurada pelo caçador por não ter dito nenhuma palavra de agradecimento por tê-la escondido, a raposa disse: "Eu lhe teria agradecido se, entre as palavras e o gesto que fizeste com a mão, houvesse alguma correspondência".

MORAL: Esta fábula aplica-se a todos aqueles que proclamam o bem em alto e bom som, mas se portam com maldade na ação.

Envie a um amigo



A Raposa e o Dragão

Havia uma figueira no caminho. Uma raposa, que vira um dragão dormindo à sombra, invejou o seu tamanho. Querendo igualar-se a ele, deitou-se ao seu lado e tentou esticar-se até que, exagerando em seu esforço, acabou por romper-se.

MORAL: Assim sofrem os que desejam igualar-se aos mais fortes; com efeito, eles próprios se prejudicam.




A Raposa e o Macaco Eleito Rei

Em uma assembléia de animais, um macaco, que obtivera o favor de todos com seus trejeitos, foi, por eles, eleito rei. A raposa, que não se agüentava de ciúme, vendo, numa armadilha, um pedaço de carne, levou o macaco até lá, dizendo ter encontrado um tesouro. O macaco, aproximando-se sem o devido cuidado, acabou preso na armadilha. Como acusasse a raposa de tê-lo levado a uma emboscada, ela lhe respondeu: “Ó macaco, tolo como você é, ainda quer ser o rei dos animais?”.

MORAL: Assim, os que se lançam em empreendimentos sem pensar duas vezes expõem-se ao fracasso e ao ridículo.




O Pavão Real e o Grou

O pavão real ria-se do grou e, ridicularizando-o, dizia:

─ Eu me visto de ouro e púrpura, ao passo que você não tem formosura em suas asas.

O grou retrucou:

─ Mas eu canto perto das estrelas e subo ao céu, ao passo que você, como os galos, caminha na terra e vive com as galinhas.

MORAL: É melhor ser grande por dentro e pobre por fora, do que pobre por dentro e grande por fora.